Circunstâncias onde assinalamos os códigos Z

Na codificação clínica, os códigos iniciados por Z são mais comumente utilizados em situações de atendimento em ambulatório. Porém, alguns códigos podem aparecer em serviços hospitalares considerando o perfil assistencial do Brasil. Vamos revisar algumas situações que utilizam os códigos iniciados com a letra Z.

1. Quando uma pessoa que não está doente procura um serviço de saúde por uma razão específica como ser doadora de órgãos e tecidos, receber vacina ou discutir um problema que ainda não se apresenta como uma doença. Essas situações são mais comuns em ambientes de ambulatório.

Exemplo: O paciente está doando um rim.

Z52.4 Doador de rim – indica um doador de rim, onde o doador não está doente mas está no serviço de saúde.

Para encontrar esse código, busque por doador, rim no índice alfabético e depois verifique o código Z52.4 na lista tabular.

2. Um paciente sabidamente portador de uma doença ou lesão recebe serviços de saúde para tratamento específico da doença ou lesão.

Exemplo: Uma paciente com câncer de mama procura o hospital para uma sessão de quimioterapia.

Z51.1 Sessão de quimioterapia por neoplasia – indica paciente que é portadora de neoplasia e está internando para realizar sessão de quimioterapia.

Para encontrar esse código, busque por quimioterapia, neoplasia no índice alfabético e depois verifique o código Z51.1 na lista tabular.

Adicionalmente o código do câncer de mama deverá ser codificado como CID secundário.

3. A circunstância ou problema está presente e influencia a situação de saúde do indivíduo, mas não é a razão pela qual o indivíduo está internado. Nessas situações o código Z só poderá ser utilizado como CID secundário. Lembrando que apenas as situações de relevância e influência no episódio atual devem ser codificadas como CIDs secundários.

Exemplo: Um paciente sabidamente alérgico à penicilina é internado para tratamento de pneumonia utilizando antibióticos endovenosos. O paciente recebe o tratamento, mas a alergia do paciente à penicilina é uma informação importante e relacionada ao tratamento que deverá ser proposto.

Z88.0 História pessoal de alergia à penicilina

Para encontrar esse código busque por história (individual) de, alergia a, penicilina no índice alfabético e depois verifique o código Z88.0 na lista tabular.

O código apropriado para a pneumonia deve ser codificado como CID principal.

4. Para indicar o nascimento ou parto.

Exemplo: Um recém-nascido vivo é o resultado de um parto vaginal no hospital.

Z38.0 Criança única, nascida em hospital

 

Vamos treinar?

Frequentemente observamos “história de” nos prontuários, por exemplo, “história pessoal de diabetes tipo 2 sem complicações”. Isso não significa que o paciente não tem mais diabetes, mas que o histórico médico do paciente inclui diabetes. Nestes casos, não vamos codificar um código de histórico e sim o código para a doença ativa. (ex. E11.9). Se existem dúvidas sobre a situação atual da doença no paciente, a equipe assistencial deve ser consultada. Aproveite para educar a equipe assistencial sobre como registrar na documentação história de doenças pregressas.

Localize no grupos de códigos iniciados em Z, utilizando o índice alfabético e a lista tabular, as seguintes situações:

  1. Uma pessoa que esteve em contato com sarampo
  2. Uma pessoa recebendo vacina profilática contra sarampo
  3. História pessoal de neoplasia maligna de pele
  4. Admissão para ajuste do marca-passo cardíaco

Resposta: a) Contato, doença, viral – Z20.8

  1. b) Imunização, vacinação, profilática, sarampo apenas Z24.4
  2. c) História (individual) de, neoplasia (maligna de), pele Z85.8
  3. d) Ajustamento, marca-passo (cardíaco) Z45.0

 

Espero que tenha gostado do conteúdo!

Lembrem-se que a utilização do índice alfabético e da lista tabular são essenciais para a codificação clínica qualificada.

Processing...
Thank you! Your subscription has been confirmed. You'll hear from us soon.
Cadastre-se para receber as novidades da SBAIS!
ErrorHere